Carnaval Vivo da Ju…rs

17:14 Juliana A. Malhardes 0 Comments

A “folia das sementes” começou na Feirinha Agroecólogica, que é um lugar de encontro de gente que planta e gente que colhe, nas mãos de quem planta. A feira é direto do produtor pro consumidor, o que proporciona a oportunidade de aprender sobre cultivo orgânico. Além de tudo ser especialmente fresco, quem está acostumado a comprar orgânico nas grandes cidades irá se surpreender com os precinho$. Eles  animam a fazer um passeio à Serra e colher a feira por lá! Prometo!
 
Nesse feriadão foi fácil juntar uma roda de amigos “germinados” para curtir juntos o preparo de comidinhas vivas na praça do Alimento Vivo, local da feira onde acontece o encontro mensal do alimento vivo, todo ultimo sábado do mês. No próximo, estarei lá!
 
Como não tínhamos combinado nem o encontro e nem um cardápio, tudo fluiu na base do improviso. Cada um abriu sua bag e foi tirando as sementes germinadas, os brotos e partilhando ingredientes colhidos na feirinha mesmo. Junta daqui e dali, todo mundo colocou “o amor na massa” e nosso almoço ficou tudo de bom.
 
Eu já fui com a minha receita pensada, um creminho de abóbora creme de abóbora orgânica.
 
Pense: abóbora crua, batida só com sal e alho. Depois de bem cremosinha, acrescentei temperos verdes e azeite. Ficou tão consistente, com uma cor tão linda, que tive que modelar!

Leo Couto, Claudia, Cynthia Brant e Juliana Malhardes


Tenho que contar do “Banco de Sementes”, orgânicas e crioulas, porque é uma coisa linda! Deve haver maiores detalhes, mas a regra geral é “trazer mais sementes do que levou”. Lindo, né? Essa coisa me remete a passagem bíblica “crescei e mutiplicai-vos”. Vai que o “Cara lá do alto” estava falando com as sementes...rsrsrs Nunca vamos saber ao certo, mas com certeza é divertido imaginar!  Para mais informações é só fazer contato direto com os organizadores pelo blog: http://feiraagroecologicateresopolis.blogspot.com.br/

E ainda ganhei um presente, uma camisa linda do movimento “Fortalecendo a Agroecologia”.
Bem no mais, passei o feriadão na “minha casa de coração em Terê”...heheh Que fica na RPPN Sítio dos Aredes! Para quem não sabe, a sigla RPPN significa Reserva Particular do Patrimônio Natural, o que quer dizer que parte dessa propriedade nunca poderá deixar de ser floresta e que seus usos serão sempre regulados por uma legislação ambiental especial. Os guardiões desse lugar, são meus amigos e mestres, Maria Luiza Branco e Jorge Struder, que cultivam juntos o Estilo de Vida Ecológico do Alimento Vivo.  O sítio produz mel, banana e outras preciosidades da horta, tudo orgânico.

Encontrei esse creminho doce prontinho na mesa da cru-zinha, esperando por mim! Nem tive que fazer! Só fotografei e comi! heheheh Preparadinho com o amor da Maria Luiza! Adooooooooro mimos como esse! São tão raros...rs Sempre agradeço por esses meus amigo existirem e terem me “adotado” como pessoa da família, me permitindo fazer parte de sua vida, sua casa e seus corações! Amo de amor!

 
 
No mais...
tive preciosas aulas sobre mel orgânico e achei tão interessante que vou fazer um post especial sobre esse assunto! Brinquei de capinar e limpar canteiro, com enxada na mão e sol na cabeça, disputando o espaço com as formigas locais...rs ADORO essa meditação ativa, pra mim é assim ENXADA e TERRA é o que realmente esvazia a mente, isso é TERRAPIA da boa!
 
fiquei como gosto, na roça, junto da terra e da floresta, entre amigos muito especiais, caminhantes no estilo de vida do Alimento Vivo! Passei em Canoas, área rural de Teresópolis. meu carnaval teve banho de riacho com as crianças, comprinhas no brechó de pechinchas na Igreja, missa na capela da roça, caminhadas noturnas em silêncio, meditação com os grilos e sapos e sua sinfonia noturna na floresta dos Arêdes!
 
Saude e paz!
Bjins
Ju

Você também pode gostar de:

0 comentários:

Olá! Deixe seu comentário!
Vamos germinar juntos ideias vivas!
Com carinho,
Juliana