Mundo contente

10:12 Juliana A. Malhardes 0 Comments

Queridos amigos, bom dia!

Bom estar aqui escrevendo. Os ventos que vivem nos soprando para lá e para cá sem parar hoje inspiraram como brisa fresca uma “permissão” de simplesmente escrever e compartilhar aqui. Tá que hoje vai ser mais um dia corrido, com idas e vindas, como tantos, mas há algo de especial na atmosfera da casa. Pode ser o encantado bailado das vespas, minhas novas vizinhas que trazem um toque de vitalidade na sua presença leve e bailarina.

Pra dar conta de sair rapidinho fiz um prato de frutas bem simples que a foto segue abaixo. Creme de 3 bananas d´água maduras, mamão no ponto ideal – em seu tom coral mais vivo, sementes de girassol sem casca hidratadas por 12 horas, 1 colher de sopa de cacau e 1 colher de sopa de mel. Depois de servir num prato fundo, acrescentei mamão em cubos, 1 colher de óleo de coco e decorei com cacau nibs cru. Comi o pratão e até deixei um cadinho...rs

DSC07512

 

Sorriso fácil = semente de um mundo contente!

Já não é a primeira vez que conversamos sobre sorriso fácil, essa coisa gostosa que dá em faces de ecossistemas humanos mais felizes ou mais desintoxicados. Germinam naqueles rostos que parecem ter sempre um sorriso engatilhado, pronto e ansioso para se lançar aos olhos de qualquer passante.

Tenho uma rotina bem caseira, canceriana, é na casa que vivo e trabalho a maior parte do tempo. Fora de casa escolho investir meu tempo em estar com amigos de alimento vivo e amigos que trouxe dos tempos de antes. Em todos os casos conversar, cru-zinhar, ver filmes e praticar atividades físicas em ambiente natural são meus programas prediletos!

Mas há dias que a demanda é urbana, dias de resolver coisas na cidade, coisas que só se realizam no meio do transito e das pessoas sérias. E é sobre isso que vim conversar. Não sei quanto a você, mas eu, caminhando entre as pessoas na cidade séria, me sinto como a protagonista de La Belle Vert, filme que se você ainda não assistiu, não sabe o que está perdendo!!! Critico e hilariante, é imperdível!

Muito bem, me referia a essa nova moda “velada”, não me refiro as calças de listras preta e branca...rs que também são engraçadas, assim como todas as modas que inventamos! Me refiro a moda de ser sério, preocupado, apressado e zangado! Vivemos um momento em que a média das pessoas parece preferir esse tom, e as vezes me pego pensando que pode ser que as pessoas acreditem eu pareçam mais respeitáveis, importantes, merecedoras de atenção e de credibilidade quando parecem sérias do que quando parecem contentes. Contente não tá na moda… Sério sim! hehehe

E ontem, como disse, estive caminhando pela cidade, olhando as pessoas sérias, falando aos celulares ou distantes, ignorando os demais passantes. E de repente me peguei fantasiando como seria um mundo diferente. Um mundo contente!!! Você já pensou? Um mundo onde nos divertíssemos por simplesmente estar entre tanta gente, sob o sol ou a chuva no meio da rua.

Onde os sorrisos fáceis tivessem licença permanente para germinar em cada face, sem medo de parecer isso ou aquilo. Sem a conotação do “fraco” ou do “fácil”... rs Onde os assuntos fossem a maravilha da sensação da saúde que estamos disfrutando pela vida! Onde celebrássemos o tempo que estamos sem ir ao médico, sem fazer exames ou sem tomar medicamentos, pois estamos com plena saúde física, financeira e tal! Onde esses assuntos estivesse por toda a parte, na fila do banco, do mercado, do correio ou na conversa do vizinho do onibus falando ao celular com uma pessoa amiga.

E ontem, em especial, me vi me perguntando: onde está esse “mundo contente”? Ele deve existir! No planeta de La Belle Vert? Talvez. Entre os amigos muitas vezes sinto instantes desse mundo “contente”. Pequenos instantes preciosos que me inspiram a acreditar que esse mundo pode germinar. E que suas sementes são as nossas escolhas mais simples: assuntos, alimentos, lazer, pessoas e lugares sadios.

Ainda assim, algo em mim, me faz pensar que o mundo contente já existe! Que só temos que aprender a olhar e sentir essa força da vida e do amor que já somos, que já temos, que já é! Quanto navego por essas ideias me pego pensando na celebre frase: “que comece por mim”. Que Deus me dê saúde e coragem para sair pela vida germinando sorrisos e gentilezas, como for, que me permita olhar a todos com olhos só de amor! E que eu não me ofenda com quem não me compreender! rs… Essa é minha mais nova prece ao Deus do Amor!

Viver os benefícios de um dieta desintoxicante como a Alimentação Viva, descobrir o que é saúde e encontrar o bem estar vivendo tão junto a esses alimentos, tem me ajudado perdoar as minhas caras zangadas de antes,  a tristeza que sentia e o humor tão ácido resultante de todo adoecimento vivia e que era causado por uma dieta igualmente “ácida” que aprendi com minha querida primeira família. Sentir a revitalização do corpo e a consequente desintoxicação facilitada pelos alimentos vivos tem me ajudado a ser mais compassiva, ter uma visão mais amorosa e tolerante com todos os seres, além de mim. Especialmente com as caras tristes e zangadas daqueles que eu mais amo. Graças a Deus, hoje eu sei que onde mora a saúde moram os sorrisos, a alegria de viver, o olhar amoroso e a arte de celebrar até o mesmo o bailado das amigas vespas, queridas vizinhas.

Bom dia!

Com amor,

Juliana Malhardes

Você também pode gostar de:

0 comentários:

Olá! Deixe seu comentário!
Vamos germinar juntos ideias vivas!
Com carinho,
Juliana