A Jaca chegou!!

22:12 Juliana A. Malhardes 0 Comments

E nada é mais lindo do que a mãe natureza pintando as árvores com seus caprichos sazonais!

E nesse momento, vem ela, em toda sua magnitude, pintando as árvores de Jaca!


Jaca era um dos grandes amores dentre as frutas favoritas da minha vó.

Sabendo disso, nosso porteiro, que me atendia pela doce alcunha de "Meu Amigo Wilson", trazia jacas da fazenda de vizinhos pra quem ele também trabalhava.

Faltou te contar que naquela época, entre outros dramas adolescentes, eu não suportava jaca, só de sentir o cheiro me embrulhava até os pensamentos.

Eu não sei porque me sentia tão mal, mas eu lembro de passar correndo pela portaria do prédio com nariz tapado pra não sentir o cheiro!!! Kkkk

Então, o finado Amigo Wilson, inocentemente me pedia pra avisar a vovó que a jaca havia chegado, pra ela mandar alguém buscar.

Ele pedia porque tinha certeza de que eu não levaria a jaca pra cima de jeito algum, pra minha sorte demorou muito tempo pra entender que eu também não levava os recados da jaca. Kkk

Eu fazia de tudo pro cheiro da jaca não subir  e impregnar a casa toda!!!

E quando ele me perguntava sobre o interesse dá vovó pela jaca, eu respondia correndo com nariz tapado, "já avisei, amigo Wilson"...Rsrs  E me ria pensando que tinha ganho mais um tempinho...Rsrs

Mas como você bem pode imaginar, com o passar dos dias o perfume da jaca ia longe e não demorava a vovó passar, sentir o cheiro e reclamar com o porteiro amigo que ele havia trazido jaca pra algum vizinho e nem tinha lembrado dela!

Kkkkkk era aí que a minha festa acabava!!!

Bem, eu sempre vivi a certeza da impunidade da "filha de vó"...Rsrs

E a certeza  de que no máximo a minha saudosa vozinha reclamaria comigo até a jaca chegar até apartamento e adoçar seu humor fazendo esquecer a minha arte!

E assim passamos anos, verões e jacas!

MEMÓRIA AFETIVA:

É isso que eu chamo de comer ser um ato afetivo, social e amoroso.

Hoje, muitos anos depois, meu paladar mudou e aprendi a amar a Jaca... E sempre que ela volta, a cada estação das jacas, me vejo aqui, perdida no deleite dos seus maravilhosos gomos, adoçados pela lembrança do amor da minha querida vó!

E no perfume da jaca eu vou lá longe, num tempo de arte e bronca, cheio da presença e da saudade do amor da Dona Ramilde, primeira e única!

Beijo no coração de todas as mães-vós, amantes de jacas, ou não,  por todos os mimos e estragos de amor irrecuperáveis que nos presenteiam nessa oportunidade que chamamos de vida!!!

E viva a Jacaaaaaa!!!

Você também pode gostar de:

0 comentários:

Olá! Deixe seu comentário!
Vamos germinar juntos ideias vivas!
Com carinho,
Juliana